Pular para o conteúdo

Educação

Inscrições para Sisu e Prouni começam ainda em janeiro.

O Ministério da Educação (MEC) abre, já em janeiro, as inscrições de dois de seus processos seletivos para ingresso no ensino superior: o Sistema de Seleção Unificada (Sisu) e o Programa Universidade para Todos (Prouni). Para classificar os candidatos, ambos utilizam as notas do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), divulgadas nesta terça-feira, 16 de janeiro.

Os cronogramas e as novidades das próximas edições do Sisu e do Prouni foram apresentados pelo Ministro de Estado da Educação, Camilo Santana, durante coletiva de imprensa de divulgação do resultado do Enem 2023, na sede do Ministério, em Brasília (DF). Na página do processo seletivo, os interessados podem consultar informações detalhadas das mais de 264 mil vagas ofertadas, por curso, turno, início do curso, instituição, local de oferta e modalidade de concorrência. Os quantitativos de vagas são preliminares e podem ser alterados até a data do primeiro dia de inscrições.

Sisu – O Edital n. 22/2023, referente ao processo seletivo do Sisu 2024, foi divulgado pelo MEC em 29 de dezembro do ano passado. A edição do Sisu deste ano terá um processo seletivo diferente, pelo qual os candidatos poderão ser selecionados para cursos cujas aulas se iniciarão no primeiro ou segundo semestre de 2024. Para concorrer a todas as vagas ofertadas no ano, os candidatos só precisarão se inscrever durante um único período: de 22 a 25 de janeiro. O resultado da chamada única será divulgado ainda em janeiro, no dia 30.

A partir dessa edição, serão adotadas alterações estabelecidas na nova Lei de Cotas. Com isso, todos os candidatos inscritos na modalidade dessa Lei serão classificados conforme o seu desempenho no Enem e o seu perfil socioeconômico, preenchido na inscrição no Sisu, primeiramente na modalidade de ampla concorrência. Em seguida, caso não sejam selecionados nessa modalidade, serão classificados nas reservas da Lei de Cotas atendidas pelo seu perfil socioeconômico, podendo haver seleção em uma dessas modalidades da Lei, conforme o art. 20 da Portaria Normativa n. 21/2012 (alterada pela Portaria n. 2027, de 16 de novembro de 2023). O objetivo é beneficiar, sem distorções, os candidatos realmente demandantes de política compensatória para acesso ao ensino superior.

Nesse sentido, todas as 127 instituições de educação superior participantes do Sisu 2024 seguirão os dados de distribuição de vagas conforme os percentuais atualizados do Censo 2022, realizado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). A oferta de vagas reservadas observará a proporção de estudantes de escolas públicas, de baixa renda, com deficiência, pretos, pardos, indígenas e, segundo a atualização da Lei de Cotas, quilombolas.

Prouni – O Ministro Camilo Santana também anunciou novidades para o Prouni, como o aumento no número de vagas para os cursos de graduação em Direito e Medicina. O edital de inscrições para o processo seletivo do primeiro semestre de 2024 do Prouni está previsto para ser publicado nessa quarta-feira (17), no Diário Oficial da União (DOU). O quantitativo da oferta de bolsas será divulgado em breve.

A consulta às informações detalhadas da oferta de bolsas, por curso, turno, instituição e local de oferta, está prevista para ser publicada na página do Prouni na próxima sexta-feira (19). O período de inscrição para o Programa será de 29 de janeiro a 1º de fevereiro, pelo Portal Único de Acesso ao Ensino Superior. O resultado será divulgado em duas chamadas, sendo a primeira para o dia 6 de fevereiro e a segunda para o dia 27 do mesmo mês.

 

Por Assessoria de Comunicação Social do MEC, com informações da Secretaria de Educação Superior (Sesu).

Rio Grande do Norte poderá retomar 116 obras da educação básica.

O Rio Grande do Norte tem a oportunidade de retomar 116 obras paralisadas e inacabadas em 62 municípios do estado, por meio do Pacto Nacional pela Retomada de Obras e de Serviços de Engenharia Destinados à Educação Básica e Profissionalizante do governo federal. O Ministério da Educação (MEC) investirá R$ 81,1 milhões na conclusão das obras, que podem criar mais de 15   mil novas vagas na rede pública estadual e municipal potiguar.

A conclusão das obras no Rio Grande do Norte vai garantir:  

40 unidades de educação infantil, entre creches e pré-escolas;

23 escolas de ensino fundamental;

47 novas quadras esportivas ou coberturas de quadras;

02 escolas de ensino profissionalizante; e

04 obras de ampliação e reforma.

Os números correspondem à quantidade de manifestações de interesse enviadas pelo estado e por seus municípios para a retomada das obras em seus territórios. A etapa de manifestação de interesse da política se encerrou no dia 22 de dezembro de 2023. Ao todo, o MEC recebeu 3.783 solicitações dos estados e municípios brasileiros, via Sistema de Monitoramento, Execução e Controle do Ministério da Educação (Simec).

Próximas etapas – A fase seguinte da política são as diligências que já estão sendo realizadas pelo Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE). Nesse momento, os estados e municípios deverão apresentar documentos possuidores de prazo de validade, como é o caso do laudo técnico de engenharia: ele somente será aceito se tiver sido emitido há menos de 60 dias da data de envio para o FNDE. O responsável por acompanhar a movimentação do processo no Simec deve ficar atento para não perder os prazos de cada etapa. Quando for encerrada a fase de diligências, caso houver a aprovação técnica do pedido de pactuação, o Fundo dará sequência ao processo com a análise de disponibilidade orçamentária e financeira, observados os critérios de priorização definidos na legislação. Uma vez superado todo esse processo com parecer positivo do FNDE, a autarquia disponibilizará os instrumentos para a assinatura do ente no Simec. Os instrumentos deverão ser assinados pelos entes em até 30 dias, e o ente federativo terá de comprovar a retomada da obra em até 12 meses, a contar da data de validação do instrumento. Já o prazo para a conclusão da obra é de 24 meses, podendo ser prorrogado por mais 24 meses, mediante aprovação.

Prazos – É importante que os gestores fiquem atentos aos prazos de resposta às diligências do FNDE. As diligências técnicas iniciais deverão ser atendidas pelos entes em até 90 dias, contados a partir do registro do pedido no Simec. Após a análise dos documentos apresentados, o Fundo poderá solicitar diligências adicionais aos entes federativos, caso necessário.

Novo prazo – De acordo com a Resolução n. 30, de 13 de dezembro de 2023, tiveram mais 60 dias de prazo as diligências técnicas iniciais realizadas pelo FNDE para as manifestações de interesse feitas no âmbito da Medida Provisória (MP) n. 1.174 que não tenham sido respondidas pelos entes federativos no prazo inicialmente estabelecido (90 dias a contar da solicitação de entrega dos documentos).

A cidade de Tangará-RN possui duas obras inacabadas na esfera municipal e duas obras paralisadas na esfera estadual, conforme consta na planilha.

Saiba mais: Lista de obras no Rio Grande do Norte.

 

Por Assessoria de Comunicação Social do MEC, com informações do FNDE.

Confira o resultado do Enem 2023.

Os resultados do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2023 já estão disponíveis na Página Participante desde a manhã desta terça-feira (16/01). Nesta edição, houve aumento significativo no número de participantes que tiraram nota máxima na redação, já que 60 atingiram os mil pontos da prova, sendo quatro da rede pública. Na edição de 2022, foram apenas 18 notas máximas. Os dados sobre o Enem 2023 foram divulgados em coletiva do Ministério da Educação, transmitida no Canal Gov.

“O Enem é uma política que garante equidade e democratização no acesso à educação”, disse o ministro da Educação, Camilo Santana. O Enem 2023 foi aplicado nos dias 5 e 12 de novembro e contou com mais de 3,9 milhões de inscritos.

Como conferir a nota do Enem

Para acessar as notas, é necessário entrar na Página do Participante com o login único da plataforma gov.br. Caso o participante não lembre a senha cadastrada, é possível recuperá-la. Basta acessar a página acesso.gov.br, digitar o CPF e clicar em “Avançar”. Em seguida, é necessário clicar em “Esqueci minha senha”, selecionar uma das formas de recuperação, preencher os campos solicitados e gerar uma nova senha.

O espelho das redações estará disponível para consulta em 90 dias, após a divulgação dos resultados. Os textos são avaliados de acordo com as cinco competências apresentadas na matriz de referência. A nota pode chegar a 1000 pontos, mas há fatores que levam à nota zero. Entre eles estão: fuga ao tema, extensão total de até sete linhas, trecho deliberadamente desconectado do tema proposto, não obediência à estrutura dissertativo-argumentativa e desrespeito à seriedade do exame.

Acesso ao ensino superior

O Exame Nacional do Ensino Médio avalia o desempenho escolar dos estudantes ao término da educação básica e, ao longo de mais de duas décadas de existência, tornou-se uma das principais portas de entrada para a educação superior no Brasil. As instituições de ensino públicas e privadas utilizam o Enem para selecionar estudantes.

As notas do exame são usadas para acessar vagas no ensino público superior por meio do Sistema de Seleção Unificada (Sisu) e  no ensino privado por meio do Programa Universidade para Todos (ProUni), ambas ações do Ministério da Educação (MEC).

Os resultados são usados como critério único ou complementar dos processos seletivos, além de servirem de parâmetro para acesso aos auxílios governamentais, como o proporcionado pelo Fundo de Financiamento Estudantil (Fies).

Os resultados individuais do Enem também podem ser usados nos processos seletivos de instituições portuguesas que tenham convênio com o Inep para aceitarem as notas do exame. Os acordos garantem acesso facilitado às notas dos estudantes brasileiros interessados em cursar a educação superior em Portugal.

 

Por: Agência Gov, com informações do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep).

Foto: Divulgação.

RN terá Faculdade de Energias Renováveis e Tecnologias Industriais.

Por ASSECOM-RN.

 

A governadora Fátima Bezerra participou, na manhã desta segunda-feira (15), do lançamento da FAETI, a primeira Faculdade de Energias Renováveis e Tecnologias Industriais do Brasil, que funcionará a partir de 4 de março no complexo SESI/SENAI, na avenida Capitão Mor-Gouveia, em Lagoa Nova. Para a governadora, a FAETI “já nasce grande” pelo papel que “irá desempenhar nos próximos anos, formando especialistas que irão colaborar na jornada global rumo à transição energética pela descarbonização do planeta”, declarou.

“Entregar à sociedade uma faculdade voltada para as energias renováveis e tecnologias industriais no estado que é berço do protagonismo das energias renováveis no Brasil, não é qualquer coisa. A FAETI vem somar ao que já existe no Rio Grande do Norte, que são a UFRN, a UERN, e os IFRNs, fazendo com que possamos avançar para tornar o RN um grande polo de formação de mão-de-obra especializada em energias renováveis para o Nordeste e para o Brasil”, comemorou a governadora do Estado, atendendo ao convite do presidente da Federação das Indústrias do Rio Grande do Norte, Roberto Serquiz.

A nova faculdade ofertará 45 vagas para a primeira turma de Engenharia Mecânica, sendo 16 para ampla concorrência (seleção via nota do Enem ou vestibular) e 20 para candidatos vinculados a empresas industriais, quatro para ex-alunos do SESI e cinco para colaboradores ou familiares do SENAI, por meio do Programa de Desenvolvimento de Pessoas da instituição.

O presidente da FIERN, Roberto Serquiz, comemorou a conquista para o setor produtivo e para a economia do estado que é o lançamento que vem se somar ao Centro de Tecnologias do Gás e Energias Renováveis (CTGAS-ER), que “já é uma referência nacional”, depois que em 2009 ampliou a sua atuação “e passou a impulsionar a atuação de energia limpa no Estado”.

Ao longo do atual governo, o RN ultrapassou a marca de 95% de potência instalada na matriz elétrica proveniente de fontes renováveis, superando vários países europeus e asiáticos. O estado tem as cinco principais fontes de geração de energia em atividade no BRASIL, com destaque para eólica, solar, biomassa, hídrica e gás Natural, este último considerado como combustível de transição.

Porto-indústria

A construção de um porto-indústria no litoral do Rio Grande do Norte para dar suporte à geração de energia eólica onshore e offshore, mineração, petróleo e gás, fruticultura, sal e pesca, e viabilizar a produção de hidrogênio verde e seus derivados, foi apresentado no início de outubro para empresários e investidores europeus na Casa da América, em Madri, pela governadora Fátima Bezerra. O interesse do governo do RN é, através de PPP – Parceria Público Privada – atrair investimentos para construção, operação e manutenção do equipamento, desenvolvimento da planta de hidrogênio verde, além de parcerias com outros portos da Europa.

Até o momento, o Governo do RN firmou 10 acordos de cooperação e memorandos de entendimento com as principais empresas do setor energético do mundo com objetivo de desenvolver novas fontes de energias renováveis, entre elas a energia eólica offshore, o hidrogênio verde, e-metanol e power to X.

IERNs

A governadora do Estado aproveitou a oportunidade para anunciar que este ano iniciará a entrega dos Institutos Estaduais de Educação Tecnológica – IERNs, começando em março pela unidade de Felipe Camarão, na Zona Oeste de Natal. “Ao todo, serão 12 escolas com o mesmo padrão dos Institutos Federais e do Senai, olhando para o futuro que começou, com instalações adequadas, laboratórios, para preparar a nossa juventude para os empregos gerados por essas novas economias”.

 

Foto: Carmem Felix.

Resultado do Enem 2023 será divulgado nesta terça-feira (16).

Os resultados do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2023 serão divulgados nesta terça-feira (16/01), na Página Participante. As notas dos treineiros, aqueles que fizeram as provas em busca de autoavaliação, serão divulgadas em março, como especifica o edital. O Enem 2023 foi aplicado nos dias 5 e 12 de novembro e contou com mais de 3,9 milhões de inscritos.

Para acessar as notas, é necessário entrar na Página do Participante com o login único da plataforma gov.br. Caso o participante não lembre a senha cadastrada, é possível recuperá-la. Basta acessar a página acesso.gov.br, digitar o CPF e clicar em “Avançar”. Em seguida, é necessário clicar em “Esqueci minha senha”, selecionar uma das formas de recuperação, preencher os campos solicitados e gerar uma nova senha.

O espelho das redações estará disponível para consulta em 90 dias, após a divulgação dos resultados. Os textos são avaliados de acordo com as cinco competências apresentadas na matriz de referência. A nota pode chegar a 1000 pontos, mas há fatores que levam à nota zero. Entre eles estão: fuga ao tema, extensão total de até sete linhas, trecho deliberadamente desconectado do tema proposto, não obediência à estrutura dissertativo-argumentativa e desrespeito à seriedade do exame.

Enem

O Exame Nacional do Ensino Médio avalia o desempenho escolar dos estudantes ao término da educação básica e, ao longo de mais de duas décadas de existência, tornou-se uma das principais portas de entrada para a educação superior no Brasil. As notas do exame são usadas para acessar vagas por meio do Sistema de Seleção Unificada (Sisu) e de iniciativas como o Programa Universidade para Todos (ProUni), ambas ações do Ministério da Educação (MEC).

Instituições de ensino públicas e privadas utilizam o Enem para selecionar estudantes. Os resultados são usados como critério único ou complementar dos processos seletivos, além de servirem de parâmetro para acesso aos auxílios governamentais, como o proporcionado pelo Fundo de Financiamento Estudantil (Fies).

Os resultados individuais do Enem também podem ser usados nos processos seletivos de instituições portuguesas que possuem convênio com o Inep para aceitarem as notas do exame. Os acordos garantem acesso facilitado às notas dos estudantes brasileiros interessados em cursar a educação superior em Portugal.

 

Por: Agência Gov, com informações do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep).

Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil.

Sisu ofertará mais de 12,6 mil vagas no Rio Grande do Norte.

O processo seletivo de 2024 para o Sistema de Seleção Unificada (Sisu) vai disponibilizar 12.677 vagas em quatro instituições públicas de educação superior no estado do Rio Grande do Norte. O número corresponde a 4,8% do total de vagas do programa (264.360), que terá somente uma etapa de inscrição de candidatos para todo o ano. Os quantitativos de vagas são preliminares e podem mudar até o início das inscrições.

Ao todo, no Rio Grande do Norte tem duas instituições federais e duas estaduais participando do Sisu 2024. A Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) é a instituição norte-rio-grandense com o maior número de oportunidades, com 7.186. Na sequência, estão a Universidade do Estado do Rio Grande do Norte (UERN), com 2.509, e o Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Norte (IFRN), que oferecerá 1.497

Confira a lista de vagas por instituição pública do Rio Grande do Norte:  

Instituição Número de vagas
Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) 7.186
Universidade do Estado do Rio Grande do Norte (UERN) 2.509
Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Norte (IFRN) 1.497
Universidade Federal Rural do Semi-Árido (UFERSA) 1.485

Fonte: Secretaria de Educação Superior (Sesu) do Ministério da Educação (MEC). Dados de 12/1/2024.

 

Inscrições – O período para se inscrever no processo seletivo do Sisu 2024 será de 22 a 25 de janeiro, por meio do Portal Único de Acesso ao Ensino Superior. A inscrição é gratuita, e podem realizá-la todos os estudantes que participaram do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2023. Além disso, é preciso que o candidato tenha obtido nota acima de zero na prova de redação, conforme a Portaria MEC n. 391/2002, e não tenha participado do Enem 2023 na condição de treineiro (candidato que não concluiu o ensino médio e participa do exame para fins de autoavaliação).

A edição terá uma única etapa de inscrição às vagas ofertadas pelas instituições participantes para todo o ano. Serão oferecidas vagas de cursos com início previsto das aulas para o primeiro e o segundo semestre de 2024, de acordo com os Termos de Adesão assinados pelas 127 instituições de ensino superior que aderiram à seleção.

Novidade – O Ministério da Educação divulgou o Edital n. 22/2023, referente ao processo seletivo do Sisu 2024, no dia 29 de dezembro de 2023. A novidade da edição de 2024 é que a seleção deste ano seguirá as alterações estabelecidas na nova Lei de Cotas. Com isso, todos os candidatos inscritos na modalidade dessa Lei serão classificados conforme o seu desempenho no Enem e o seu perfil socioeconômico, preenchido na inscrição no Sisu, primeiramente na modalidade de ampla concorrência. Em seguida, caso não sejam selecionados nessa modalidade, serão classificados nas reservas da Lei de Cotas atendidas pelo seu perfil socioeconômico, podendo haver seleção em uma dessas modalidades da Lei, conforme o art. 20 da Portaria Normativa n. 21/2012 (alterada pela Portaria n. 2027, de 16 de novembro de 2023). O objetivo é beneficiar, sem distorções, os candidatos realmente demandantes de política compensatória para acesso ao ensino superior.

Nesse sentido, todas as instituições de educação superior participantes do Sisu 2024 seguirão os dados de distribuição de vagas conforme os percentuais atualizados do Censo 2022, realizado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). A oferta de vagas reservadas observará a proporção de estudantes de escolas públicas, de baixa renda, com deficiência, pretos, pardos, indígenas e, segundo a atualização da Lei de Cotas, quilombolas.

Sisu – O Sistema de Seleção Unificada foi instituído pela Portaria Normativa n. 2, de 26 de janeiro de 2010, e atualmente está regulamentado pela Portaria Normativa n. 21, de 5 de novembro de 2012. O Sistema reúne as vagas ofertadas por instituições públicas de ensino superior de todo o Brasil, que participam do processo seletivo vigente, sendo a maioria delas oferecida por instituições federais (universidades e institutos).

 

Por Assessoria de Comunicação Social do MEC, com informações da Sesu.

Ufersa abre 146 vagas em cursos de pós-graduação.

Durante o início de Janeiro, seis programas de pós-graduação da Universidade Federal Rural do Semi-Árido recebem inscrições, somando um total de 146 vagas. Os processos seletivos disponíveis são para Especialização, Mestrado e Doutorado nas áreas de Educação, Engenharia Elétrica, Contabilidade e outras. Confira as informações e os editais a seguir.

Especialização em Contabilidade e Planejamento Tributário

A Especialização em Contabilidade e Planejamento Tributário têm suas inscrições abertas até o dia 20 de janeiro, oferecendo 40 vagas, distribuídas entre ampla concorrência e servidores da Ufersa.

Edital

Especialização em Engenharia de Segurança do Trabalho

Já a especialização em Engenharia de Segurança do Trabalho disponibiliza 45 vagas e recebe inscrições até o dia 15 de janeiro, após prorrogar o prazo do edital original.

Edital

Mestrado Acadêmico em Ensino (Posensino)

Realizado em associação com a Universidade do Estado do Rio Grande do Norte (Uern) e o Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Norte (IFRN), o Posensino disponibiliza 30 vagas em seu curso de mestrado. Os interessados podem se candidatar até o dia 22 de janeiro.

Edital

Mestrado em Engenharia Elétrica

O Programa de Pós-Graduação em Engenharia Elétrica da Ufersa está com inscrições abertas para o seu curso de Mestrado até o dia 28 de janeiro, ofertando no total 12 vagas.

Edital

Mestrado do Programa de Pós-Graduação em Ambiente, Tecnologia e Sociedade

O edital para ingresso no Programa de Pós-Graduação em Ambiente, Tecnologia e Sociedade em nível de mestrado oferece 16 vagas, distribuídas entre ampla concorrência, servidores e candidatos autodeclarados de grupos sociais minoritários. As inscrições vão até o dia 21 de janeiro.

Edital

Doutorado em Ciência Animal

O  Programa de Pós-Graduação em Ciência Animal (PPGCA) da Ufersa está disponibilizando 3 vagas para doutorado, com inscrições indo até o dia 18 de janeiro.

Edital

 

Fonte: Ufersa.

Governadora reúne empresas responsáveis por obras dos IERNs.

Por Assecom/RN.

 

A governadora Fátima Bezerra participou nesta quarta-feira (10) de uma reunião com as secretarias estaduais de Educação e Infraestrutura e um grupo de construtoras para analisar o progresso das obras nos Institutos de Educação Profissional, Tecnologia e Inovação (IERN). Com investimento total de R$ 110 milhões, o Governo do Estado vai entregar ainda este ano, 10 unidades de ensino técnico e profissionalizante.

As obras estão distribuídas nos municípios de Natal, Touros, Tangará, Santana do Matos, Jardim de Piranhas, Campo Grande, Umarizal, Alexandria, São Miguel, Areia Branca. Além destas, as cidades de São José do Mipibu e Mossoró também serão contempladas.

Segundo a governadora Fátima Bezerra, a importância dos institutos técnicos não se limita apenas a abrir oportunidades para os alunos, mas também para as comunidades contempladas com as novas unidades de ensino.

Almejamos criar um espaço funcional, adequado e propício para estimular e incentivar as diversas vocações dos estudantes. Essa iniciativa visa não apenas proporcionar um ambiente enriquecedor para a comunidade acadêmica, mas também para toda a comunidade local”, disse a governadora.

A governadora também enfatizou a relevância do ensino técnico na formação de mão de obra de qualidade. “Ao perguntar aos pais onde gostariam que seus filhos estudassem, muitos expressam o desejo de vê-los no Instituto Federal, por exemplo. Queremos ter com os IERNs um papel semelhante na interiorização da educação de qualidade, com a formação profissionais cada vez mais preparados para o atual mercado de trabalho”, justificou.

Durante a reunião, a Secretaria de Infraestrutura do Rio Grande do Norte (SIN) ressaltou que as unidades de ensino desempenham uma função social importante para os municípios em que estão inseridos.

“Essas escolas estão longe de serem apenas prédios, são um padrão de qualidade e um investimento valioso na formação da juventude”, disse o secretário Gustavo Coelho.

Os investimentos médios se mantêm constantes, com cada unidade do Instituto Estadual custando aproximadamente R$ 10 milhões.

Mudança do cenário da educação potiguar.

A construção dos IERNs promete transformar o cenário educacional potiguar com um investimento expressivo de R$ 110 milhões. Cada unidade apresentará uma infraestrutura robusta de 8 mil metros quadrados (m²), incluindo 12 salas de aula, laboratórios, áreas dedicadas ao ensino profissionalizante, biblioteca, auditório, além de amplos espaços verdes internos e externos.

Um dos diferenciais das novas estruturas é que cada unidade adotará fontes de energia limpa, como sistemas fotovoltaicos, e contarão com uma estação de tratamento de águas pluviais, reforçando o compromisso com a sustentabilidade ambiental.

“Essas instituições têm uma capacidade de atendimento de até 1.200 a 1.500 estudantes. Sabemos que, quanto mais jovens estiverem na escola, mais distantes ficarão das situações de violência presentes da nossa sociedade”, reiterou a governadora Fátima Bezerra.

Para a definição dos cursos técnicos oferecidos pelos IERNs, um processo participativo envolve a comunidade escolar e os agentes econômicos. Plenárias foram feitas em cada cidade sede, com a presença de gestores estaduais, coordenadores, professores e representantes dos setores educacionais e econômicos, são parte integrante desse processo.

 

Foto: Humberto Sales.

Universidades do Nordeste têm 45% das vagas do Sisu 2024.

Em 22 de janeiro, o Ministério da Educação (MEC) iniciará as inscrições para o Sistema de Seleção Unificada (Sisu), que, em 2024, passa a ter apenas uma edição anual. A seleção ofertará 264 mil vagas em instituições públicas de educação superior. A maioria delas, 45%, está concentrada em universidades públicas do Nordeste. As instituições do Sudeste vêm na sequência, com 32% das vagas. Já o Sul tem 12% das vagas; o Centro-Oeste, 8%; e o Norte, 4%. Os números são preliminares e podem se alterar até o início das inscrições.

Vagas Sisu 2024 | Por região

Região Número de vagas %
Centro-Oeste 21.102 8%
Nordeste 118.985 45%
Norte 10.122 4%
Sudeste 83.499 32%
Sul 30.652 12%
Total 264.360 100%

Quando se observa a distribuição de vagas por unidades da Federação, Minas Gerais e Rio de Janeiro são os estados com a maior oferta de vagas em 2024: 12,8% e 11,1%, respectivamente. As universidades participantes da Bahia somam 9% das vagas, seguidas pela Paraíba (8,2%) e pelo Rio Grande do Sul (5,9%).

Vagas Sisu 2024 | Por unidade da Federação  

UF Número de vagas %
AC 2.300 0,9%
AL 7.558 2,9%
AM 2.749 1%
AP 664 0,3%
BA 23.877 9%
CE 13.478 5,1%
DF 1.322 0,5%
ES 6.933 2,6%
GO 6.828 2,6%
MA 7.934 3%
MG 33.744 12,8%
MS 4.430 1,7%
MT 8.522 3,2%
PA 2.495 0,9%
PB 21.673 8,2%
PE 15.011 5,7%
PI 10.705 4%
PR 9.245 3,5%
RJ 29.393 11,1%
RN 12.677 4,8%
RO 0 0%
RR 768 0,3%
RS 15.499 5,9%
SC 5.908 2,2%
SE 6.072 2,3%
SP 13.429 5,1%
TO 1.146 0,4%
Total 264.360 100%

Inscrições – Conforme o Edital n. 22/2023, os interessados em tentar uma vaga em instituições públicas de educação superior em 2024 devem se inscrever entre 22 e 25 de janeiro, por meio do Portal Único de Acesso ao Ensino Superior. Os resultados do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2023, usados na seleção, serão divulgados em 16 de janeiro, pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep).

Novidades – Em 2024, o Sisu terá somente uma edição no ano. Serão ofertadas vagas de cursos com início previsto das aulas para o primeiro e o segundo semestre de 2024, de acordo com os Termos de Adesão assinados pelas instituições de ensino superior que aderiram à seleção. Ao todo, 127 universidades participarão do Sisu 2024, com oferta de 264.360 vagas, para os dois semestres do ano.

No caso das vagas disponibilizadas cujo início das aulas ocorrerá no segundo semestre, serão aplicadas as seguintes regras:

  • as vagas serão preenchidas pelas instituições exclusivamente segundo a ordem de classificação dos candidatos, de acordo com as notas obtidas no Enem 2023;
  • o candidato não poderá escolher em qual semestre vai ingressar, porque isso dependerá da sua classificação no curso pretendido, mas concorrerá às vagas do ano inteiro com uma única inscrição; e
  • todos os candidatos selecionados dentro das vagas disponíveis para a chamada regular deverão realizar a matrícula na universidade no período indicado no edital.

O ingresso do estudante no curso, no entanto, dependerá da sua colocação em relação às vagas disponíveis e da ocupação efetiva das vagas pelos estudantes que estiverem mais bem colocados no curso pretendido. Assim, a classificação do candidato — combinada com o registro de matrícula da vaga ofertada, sendo vaga de primeiro ou segundo semestre — é o que definirá o início do seu curso, no primeiro ou segundo semestre, conforme edital específico de cada instituição de ensino superior

Para participar do processo seletivo do Sisu 2024, é necessário que: o candidato tenha participado da edição de 2023 do Enem; não tenha zerado a prova de redação, conforme a Portaria MEC n. 391/2002; e não tenha participado do exame na condição de treineiro (candidato que não concluiu o ensino médio e participa das provas para fins de autoavaliação), conforme definido no Edital Enem 2023.

Outra novidade da edição é a adoção das alterações estabelecidas na nova Lei de Cotas. Assim, todos os candidatos inscritos no Sisu nessa modalidade serão classificados conforme seu desempenho no Enem e seu perfil socioeconômico, primeiramente na modalidade de ampla concorrência. Em seguida, caso não sejam selecionados nela, serão classificados nas reservas da Lei de Cotas que seu perfil socioeconômico atenda, podendo ter seleção em uma dessas modalidades da Lei conforme o art. 20 da Portaria Normativa n. 21/2012 (alterada pela Portaria n. 2027, de 16 de novembro de 2023). O objetivo é beneficiar, sem distorções, os candidatos realmente demandantes de política compensatória para acesso ao ensino superior.

Todas as instituições de educação superior participantes do Sisu 2024 seguirão os dados de distribuição de vagas conforme os percentuais atualizados do Censo 2022, realizado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). A oferta de vagas reservadas observará a proporção de: estudantes de escolas públicas, estudantes de baixa renda, pessoas com deficiência, pretos, pardos, indígenas e, conforme a atualização da Lei de Cotas, quilombolas.

Por Assessoria de Comunicação Social do MEC, com informações da Secretaria de Educação Superior (Sesu).

Calendário Escolar 2024: ano letivo começa em 4 de março na rede estadual.

Por SEEC.

 

As aulas do ano letivo 2024, na rede estadual de educação, terão início no dia 4 de março. Essa data está presente no calendário escolar 2024, publicado pela Secretaria de Estado da Educação, da Cultura, do Esporte e do Lazer. Mantendo a tradição, os 200 dias letivos estão distribuídos em quatro bimestres.

A forma que os dias letivos são distribuídos permite uma educação mais equitativa, oferecendo aos estudantes a oportunidade de absorverem melhor o conhecimento ao longo do ano. Além disso, essa configuração possibilita uma avaliação mais frequente do progresso dos estudantes, contribuindo para intervenções pedagógicas mais assertivas.

O ano letivo começará em 04 de março, marcando o início do primeiro bimestre. Estudantes e professores estarão de volta às salas de aula, prontos para mais um ano de aprendizado. “Essa fase inicial é crucial para estabelecer as bases do aprendizado e para criar um ambiente propício ao desenvolvimento acadêmico”, pontua Socorro Batista, secretária de Educação do RN.

Com o segundo bimestre iniciando em 15 de maio, a comunidade escolar entrará no meio do caminho. Nesse período, o foco se intensifica nos resultados, com avaliações e projetos alcançando seu ápice. A comunidade escolar estará imersa em um ambiente de aprendizado contínuo, aproveitando ao máximo cada oportunidade para o crescimento acadêmico.

O terceiro bimestre, que começa em 06 de agosto, representa a fase de consolidação do conhecimento adquirido. É nesse período que as bases estabelecidas nos bimestres anteriores se solidificam, proporcionando uma compreensão mais profunda dos temas abordados. Projetos finais, eventos escolares e atividades extracurriculares serão destaques, enriquecendo ainda mais a experiência educacional.

O quarto e último bimestre, que se estende de 16 de outubro a 23 de dezembro, marca o encerramento do ano letivo. Esse período será repleto de avaliações, reflexões e atividades que destacarão os avanços e conquistas alcançados ao longo do ano.

A Educação de Jovens e Adultos organiza seu calendário em dois blocos, iniciando o 1º semestre junto com o 1º bimestre do calendário regular, em 4 de março, e o 2º semestre com o 3º bimestre, em 8 de agosto.

Datas comemorativas tradicionalmente previstas também estão contempladas no calendário escolar, como o dia do estudante (11 de agosto), do professor (15 de outubro) e do servidor público (28 de outubro). O calendário também leva em consideração os feriados estaduais e nacionais.

Para garantir que todos os envolvidos possam se programar adequadamente, o calendário completo do ano letivo de 2024 está disponível online no site oficial da SEEC.

 

Foto: Carmem Felix.

Governo do RN lança edital de processo seletivo para professores com salários de até R$ 4 mil.

O Governo do Estado do Rio Grande do Norte publicou na edição desta sexta-feira (5), do Diário Oficial do Estado (DOE), o edital de abertura do Processo Seletivo Simplificado para composição de cadastro de reserva para contratação de professor temporário com licenciatura, por tempo determinado.

Os professores irão ministrar aulas nas etapas de Ensino Fundamental (1º e 2º segmentos) e Ensino Médio na modalidade de Educação de Jovens e Adultos em espaço não escolar, atendendo também as modalidades da educação do campo, educação escolar Indígena, educação escolar quilombola, assim como na educação escolar para privados de liberdade do sistema prisional.

De acordo com o Governo do RN, a remuneração dos professores contratados para atuar nas etapas de Ensino Fundamental (1º e 2º segmentos) e Ensino Médio, nas modalidades de Educação de Jovens e Adultos em espaço não escolar, educação do campo, educação escolar indígena, educação escolar quilombola, educação escolar para privados de liberdade do sistema prisional, será igual ao valor da remuneração estabelecida para os professores do quadro do magistério público estadual em início de carreira para o regime de trabalho de 30 horas semanais, no valor de R$ 4.038,43.

O processo seletivo será realizado em uma única etapa: a de análise curricular de caráter eliminatório e classificatório. Os profissionais contratados estarão sujeitos à carga horária de 30 horas semanais – sendo 20 horas na sua jornada de trabalho em sala de aula e 10 horas exclusivamente para atividades extraclasse.

Os atos oficiais relativos ao Processo Seletivo Público serão publicados no Diário Oficial do Estado do Rio Grande do Norte e no portal https://sigeduc.rn.gov.br, conforme a Lei Estadual nº 9.353, de 2010, e suas alterações posteriores.

O candidato deverá realizar sua inscrição, exclusivamente pela internet. Os candidatos poderão obter informações referentes ao Processo Seletivo, exclusivamente, através do portal https://sigeduc.rn.gov.br.

 

Fonte: Portal Rádio 98FM.

UFRN oferece 195 vagas para Mestrado e Doutorado em janeiro.

Por Ester Tavares de Agecom/UFRN.

 

Estão abertas 195 vagas de mestrado e doutorado na UFRN, com inscrições durante todo o mês de janeiro, para oito cursos das mais diversas áreas de estudo. Os cursos com oportunidade somente para mestrado são: Biologia Parasitária, Produção Animal, Nutrição, Engenharia Mecatrônica e Engenharia Mecânica. Enquanto que os cursos de Bioquímica e Biologia molecular, Ciências Fisiológicas e Engenharia Elétrica e de Computação estão oferecendo vagas para mestrado e doutorado.

O curso de Bioquímica e Biologia molecular inscreve até o dia 29 e o de Ciências Fisiológicas até 19 de janeiro. As inscrições para os cursos de Engenharia Elétrica e de Computação, Biologia Parasitária, Engenharia Mecânica e Produção Animal vão até o dia 26. Já os interessados no mestrado em Nutrição e Engenharia Mecatrônica devem se apressar, pois o cadastro só pode ser feito até os dias 12 e 15 de janeiro, respectivamente.

O Edital, com as datas de etapas e resultados, além da documentação necessária para realizar as inscrições, está disponível no site do Sigaa. O interessado deve se candidatar a partir do acesso ao GOV, selecionando o curso necessário e preenchendo o formulário.

 

UFRN oferta primeiro doutorado no interior do RN.

Por Williane Silva /Ascom-Reitoria.

A Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) oferta o primeiro doutorado no interior do estado. O curso integra o Programa de Pós-Graduação em Fisioterapia, vinculado à Faculdade de Ciências da Saúde do Trairi (Facisa), em Santa Cruz-RN, e ao Centro de Ciências da Saúde (CCS), em Natal-RN. Com oferta nos dois polos, há a previsão de abertura de 20 vagas a partir do primeiro semestre de 2024.

O doutorado surgiu a partir da fusão do Programa de Pós-Graduação em Ciências da Reabilitação com o Programa de Pós-Graduação em Fisioterapia, que foi aprovada pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes), em dezembro de 2023.

O pró-reitor de Pós-Graduação (PPG-UFRN), Rubens Maribondo, destacou a importância da aprovação do programa, que demonstra o esforço institucional para consolidar a política de interiorização do ensino de pós-graduação. O gestor ressaltou ainda o caráter descentralizado do curso, visto que envolve o CCS e a Facisa.

Publicado edital do Sisu 2024.

  • por

O Ministério da Educação (MEC) publicou nesta sexta-feira, 29 de dezembro, o Edital n. 22/2023, referente ao processo seletivo de 2024 para o Sistema de Seleção Unificada (Sisu). Os interessados em participar poderão se inscrever no período de 22 a 25 de janeiro de 2024, por meio do Portal Único de Acesso ao Ensino Superior

Em 2024, a edição do Sisu terá somente uma etapa de inscrição de candidatos às vagas ofertadas pelas instituições participantes. Serão ofertadas vagas de cursos com início previsto das aulas para o primeiro e o segundo semestre de 2024, de acordo com os Termos de Adesão assinados pelas instituições de ensino superior que aderiram à seleção.  

Vagas – Ao todo, 127 universidades participarão do Sisu 2024, com oferta de 264.254 vagas, para o primeiro e o segundo semestre. No caso das vagas disponibilizadas cujo início das aulas ocorrerá no segundo semestre, serão aplicadas as seguintes regras: 

  • as vagas serão preenchidas pelas instituições exclusivamente segundo a ordem de classificação dos candidatos, de acordo com as notas obtidas no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem); 
  • o candidato não poderá escolher em qual semestre irá ingressar, porque isso dependerá da sua classificação no curso pretendido, mas concorrerá às vagas do ano inteiro com uma única inscrição; e 
  • todos os candidatos selecionados dentro das vagas disponíveis para a chamada regular deverão realizar a matrícula na universidade no período indicado no edital. 

O ingresso do estudante no curso, no entanto, dependerá da sua colocação em relação às vagas disponíveis e da ocupação efetiva das vagas pelos estudantes que estiverem mais bem colocados no curso pretendido. Assim, será a classificação do candidato que definirá o início do seu curso, no primeiro ou segundo semestre, conforme edital específico de cada instituição de ensino superior.    

Para participar do processo seletivo do Sisu 2024, é necessário que o candidato tenha participado da edição de 2023 do Enem, bem como não ter zerado a prova de Redação, conforme a Portaria MEC nº 391/2002, e não tenha participado do Enem 2023 na condição de treineiro – candidato que não concluiu o ensino médio e participa do exame para fins de autoavaliação.  

Novidades – Conforme anunciado anteriormente neste ano, o Sisu 2024 seguirá as alterações estabelecidas na nova Lei de Cotas. Assim, todos os candidatos inscritos no Sisu serão classificados conforme o seu desempenho no Enem, primeiramente na modalidade de ampla concorrência. Em seguida, é prevista a reserva de vagas ofertadas pela Lei de Cotas e pelas políticas de ações afirmativas das instituições de ensino. O objetivo é beneficiar, sem distorções, os candidatos realmente demandantes de política compensatória para acesso ao ensino superior.  

Todas as instituições de educação superior participantes do Sisu 2024 seguirão os dados de distribuição de vagas conforme os percentuais atualizados do Censo 2022, realizado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). A oferta de vagas reservadas observará a proporção de estudantes de escolas públicas, de baixa renda, pessoas com deficiência, pretos, pardos, indígenas e, conforme a atualização da Lei de Cotas, de quilombolas. 

Resultado – O resultado do processo seletivo será divulgado no dia 30 de janeiro, pelo Portal Único de Acesso.  

Lista de espera – Diferentemente dos anos anteriores, em 2024, a lista de espera poderá ser utilizada durante todo o ano pelas instituições de educação superior participantes, para preenchimento das vagas eventualmente não ocupadas na chamada regular. O candidato que não for selecionado na chamada regular poderá manifestar interesse em participar da lista de espera, no período de 30 de janeiro a 7 de fevereiro, também pelo Portal Único de Acesso.  

Os procedimentos para preenchimento das vagas serão definidos em edital próprio de cada instituição participante, de acordo com a Portaria Normativa MEC nº 21, de 2012, ressalvado o disposto no art. 2º do Decreto nº 11.781, de 14 de novembro de 2023, e no art. 3º da Portaria MEC nº 2.027, de 16 de novembro de 2023. 

Cronograma Sisu 2024 

Inscrição: 22 a 25 de janeiro de 2024.
Resultado: 30 de janeiro de 2024.
Matrícula dos selecionados: 1º a 7 de fevereiro de 2024. 
Manifestação de interesse na lista de espera: 30 de janeiro a 7 de fevereiro de 2024. 

 
Por Assessoria de Comunicação Social do MEC, com informações da Secretaria de Educação Superior (Sesu) 

Foto: Reprodução/MEC.